Buscar
  • por Ivan Alfarth

Franquia ou pirâmide? Saiba os riscos em negócios disfarçados


A ideia é tentadora: alguém lhe convida para participar de um negócio de baixo investimento, alta rentabilidade, sem experiência - apenas vontade de enriquecer. Pois bem, parece a descrição dos famosos sistemas de pirâmide financeira. Mas isso pode ser aplicado a alguns tipos de franquia. E o interessado em entrar no negócio de franchising deve tomar cuidado para não entrar em um verdadeiro golpe.

Um esquema em pirâmide é um modelo comercial não sustentável que depende basicamente do recrutamento progressivo de outras pessoas para o esquema. Ou seja, ele se alimenta de novos usuários, não da venda de produto aplicado ao negócio. Assim, uma forma de se identificar se um negócio é uma pirâmide disfarçada é quando seus criadores enfatizam mais o negócio em si do que o produto que ele vende. Por exemplo: uma empresa que comercializa produtos de higiene e limpeza e que quer encontrar parceiros, mas ressalta apenas as vantagens financeiras de ser um representante da empresa (promessas de lucro rápido, retorno de investimento recorde, entre outros) ao invés de falar do produto.

Os agentes que costumam praticar o golpe da pirâmide no mercado já descobriram outra forma de disfarçar seus propósitos: agora anunciam seu esquema na forma de Franquias. A história é sempre a mesma, onde surge um negócio cujo investimento está ao alcance do interessado, mas o grande motivador para o negócio não é a promessa de poder fornecer um bom produto – o que vem em primeiro lugar é a possibilidade de enriquecimento.

Para se identificar uma pirâmide disfarçada de franquia, ou pelo menos acender um alerta para o negócio oferecido, alguns sinais devem ser observados:

- O perfil dos donos dessas franquias: são empreendedores bem-sucedidos e dispostos a passar todos os segredos do seu sucesso, costumam fazer apresentações em grandes eventos, onde ressaltam suas conquistas. Encantam a mídia, viram capas de revistas, palestrantes e, sempre muito envolventes, conseguem estimular seguidores.

- Quanto ao perfil do negócio propriamente dito, são sempre pequenos, ao alcance do interessado, tornando microfranquias e nanofranquias um candidato às pirâmides. A forma de aproximação sempre parte dos donos do negócio, mesmo que nunca tenha o interessado procurado – ao contrário de franquias onde a lógica é o interessado procurar e buscar um negócio com o qual se identifique fortemente.

- Quanto ao formato do negócio, o franqueador fraudulento sempre age de forma a receber o quanto antes a Taxa de Franquia e, para isso, força a decisão do interessado, mostrando quantas foram vendidas e que esta será a única oportunidade de entrar no negócio. Também o Franqueador mostra pouco interesse em receber os royalties, pois terá que dar suporte em contrapartida e foca sua ação em vender mais e mais franquias, recebendo a Taxa de Franquia exponencialmente.

A recomendação principal que fazemos: ao abrir um novo negócio, consulte um profissional jurídico. Franquias são sistemas fortemente regulados por lei. As tentativas de se criar um sistema fraudulento disfarçado de Franquia podem ser identificadas por advogados do ramo, evitando problemas graves no futuro.


317 visualizações

© 2020 por Ivan Alfarth. 

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Clean