Buscar
  • Ivan Alfarth

Por que advocacia preventiva?


É comum que empresários e pessoas físicas recorram a diversos tipos de assessorias especializadas. Muitos buscam assessorias contábeis, por exemplo, para realizar calculos, balancetes e outros pormenores. Porém, falta-lhes ainda a assessoria jurídica correspondente, exercida por profissional da área de direito.

É comum que um advogado seja contratado para tomada de medidas agudas, quando processos já se instalaram - a única alternativa é recorrer ao Judiciário. Porém, nunca é demais recordar que o Judiciário está abarrotado de processos e a lentidão dos trâmites é enorme. Por exemplo, a Corregedoria-Geral da Justiça de Santa Catarina informa que em 2011 foram iniciados 932.211 processos em todo o Estado. Aqueles que ainda estão em trâmite chegam a 2.181.016 processos para 362 magistrados (média de 1.686 processos por juiz).

Outro fator que faz a balança pender em favor da adoção de uma postura preventiva é o custo: a confecção de um bom contrato por um profissional jurídico certamente terá um valor bem inferior ao de uma ação que visa reaver prejuízos de um negócio não protegido contratualmente, sem falar na segurança jurídica de se ter assessoria de advogado nos negócios, pois poderá facilitar a defesa dos interesses das pessoas e empresas na justiça.

Por fim, alguns exemplos de advocacia preventiva que podem ser adotados para atender aos interesses dos clientes:

- Elaboração e revisão de Contratos

- Análise de riscos em negócios tanto para empresas como para pessoas físicas, tais como aquisição de imóveis, de empresas, bens diversos, contratação de mão-de-obra.

- Pareceres sobre condutas empresariais, tais como relação patrão-empregado, relacão empresa-consumidor, questões ambientais e tributárias.

#assessoriajuridica #advocaciapreventiva #consultoriapreventiva #prevençãoderiscos #contratos

9 visualizações

© 2020 por Ivan Alfarth. 

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Clean